A verdadeira história por trás dos 6 milhões de crânios embaixo de Paris

Paris, é conhecida como a capital da moda, do glamour, do romance e do luxo. É lugar comumente associado a coisas boas, sendo o equilíbrio perfeito entre história, cultura e elegância.

No entanto, apesar dessas características positivas, o subsolo da cidade esconde um segredo obscuro e até mesmo assustador.

A verdadeira história dos 6 milhões de crânios embaixo de Paris

A Necrópole de Paris foi criada em meados do século XVIII, e é um dos maiores e mais famosos cemitérios da história. A Necrópole é composta de uma rede de salas e túneis subterrâneos que eram usados como minas de calcário durante o período romano.

As minas começaram a serem usadas como cemitério no final do século XVIII e atualmente o local é preservado como um ossário, abrigando mais de 6 milhões de esqueletos humanos e se tornando a maior concentração de toda a Europa.

As minas passaram a ser usadas como cemitério em 1786, quando o Inspetor Geral de Pedreiras Harles-Axel Guillaumont deu essa ordem após perceber a quantidade exorbitante de restos humanos que enchiam os túneis, que possui aproximadamente 400 quilômetros de comprimento e 20 quilômetros de profundidade.

A verdadeira história dos 6 milhões de crânios embaixo de Paris

Devido ao manuseio incorreto dos cadáveres e ao alto número de mortes na região decorrentes de guerras, doenças e epidemias, sepulturas comuns que abrigavam um corpo passaram a abrigar quatro ou cinco, fazendo com que boa parte da população passasse a adoecer.

Acredita-se que foram necessários 15 meses para transferir os milhões de ossos para as catacumbas, isso porque as obras eram realizadas apenas de noite, atravessando a cidade por rodovias e acumulando aproximadamente 6 milhões de parisienses pelo caminho.

A verdadeira história dos 6 milhões de crânios embaixo de Paris

Atualmente apenas 0,5% das catacumbas são abertas ao público. Isso porque devido ao tamanho e a complexidade dos túneis a chance de visitantes se perderem e acabarem morrendo dentro dos túneis é muito alta. Esse foi o caso de Philibert Aspairt, um zelador desaparecido em 1793 e encontrado sem vida onze anos depois nas catacumbas.

As catacumbas são abertas ao público, você pode conhecer essa cidade subterrânea a partir de uma visita guiada e segura.

Publicidade

Deixe um comentário...