Gosma Preta Presente Em Sarcófagos Egípcios: O Fim Do Mistério

Publicidade

Uma misteriosa gosma preta presente em sarcófagos egípcios chamava a atenção. A principal suspeita era que esta fazia parte do ritual do Antigo Egito.

Em contrapartida, não conseguiam encontrar uma resposta para o uso desta gosma. Poucos dados sobre a prática que envolve os rituais do Egito durante os anos de 1300 a.C. até 750 a.C foram encontrados.

Isso se dá por o conhecimento da prática ser por boca a boca, sem documentos a fim de manter o conhecimento entre aqueles que tinham o  direito de executar esta ação. Desse modo, foi preciso um maior esforço para descobrir mais sobre a gosma.

 

Como funciona a pesquisa para descobrir mais sobre a gosma preta presente em sarcófagos egípcios?

gosma-preta-sarcófagos-egípcios

Para solucionar esta questão, cientistas analisaram cerca de 100 amostras deste material que estavam disponíveis em 12 múmias. Para descobrir sobre a “receita” do elemento, usaram o método cromatografia gasosa e espectrometria de massa.

A cromatografia gasosa é capaz de separar compostos que podem ser vaporizados sem decomposição. Em contrapartida, a espectrometria de massa detecta e identifica moléculas por meio de medição da massa e características da estrutura química do material em análise.

Desse modo, descobriram que a gosma preta é feita por óleo vegetal, gordura animal, resina de árvore, cera de abelha e petróleo bruto sólido. Sobretudo, os elementos variam de um sarcófago para outros, mas estão presentes em todas as amostras.

Além destes, outros itens poderiam fazer “parte da receita”, mas se perderam pelas ações do tempo, afinal, são mais de 3 mil anos que se passaram.

 

Qual era a função da gosma?

gosma-preta-sarcófagos-egípcios

Não há certezas quanto ao uso e função da gosma preta presente em túmulos egípcios. Porém, algumas hipóteses existem. Os materiais da gosma são semelhantes aos do bálsamo que se usa para o processo de mumificação.

Além disso, na cultura egípcia antiga, ao morrer o indivíduo se torna parte do deus Osíris. O deus da morte e do renascimento representado por um sarcófago preto. A ideia é que ao preencher os sarcófagos com a gosma, os mortos alcançariam a semelhança com o deus. Desse modo, estariam conectados.

Outros afirmam que esta gosma era usada durante todo o processo funerário de pessoas ricas. Afinal parte dos materiais não eram do Egito, como as resinas vindas da Grécia e o petróleo do Mar Morto. Com isso, era preciso importar estes materiais, o que gerava custos. Assim, o tom preto faria referência ao que sobrava das cheias do Nilo, que por sua vez representa a regeneração.

 

Share

Me chamo Bruno Vieira e sou apaixonado pelos mistérios da natureza e do mundo!

Deixe um comentário...