Imagens raras mostram o último sobrevivente de tribo amazônica isolada

Publicidade

Este é o último membro vivo de uma tribo não contatada em uma área remota da floresta amazônica. O mundo não tem ideia de seu nome, sua língua, sua cultura, ou a maior parte de sua história. No entanto, esse homem pode estar indo em direção a um grave perigo.

Publicidade

As imagens do denominado “homem mais isolado do planeta” foram filmadas em uma das áreas mais ocultas da floresta tropical do estado de Rondônia, no norte brasileiro, em 2011. Ele mostra um homem de cabelos compridos, com mais ou menos 50 anos, cortando uma árvore com uma ferramenta afiada enquanto os sons da floresta tropical ecoam ao seu redor. O vídeo foi lançado divulgado pela FUNAI, A Fundação Nacional do Índio.

A FUNAI vem monitorando este homem há 22 anos. Eles confirmaram sua existência em 1996 após madeireiros locais relatarem ter visto um homem de uma tribo solitária vagando pela floresta.

Ele é conhecido como o “Último de sua Tribo”. Ele tem vagado pela floresta amazônica sozinho desde que sua tribo foi massacrada. Durante as décadas de 1970 e 1980, uma série de massacres realizados por pistoleiros contratados por fazendeiros acabou dizimando toda sua tribo, bem como muitos outros grupos ao redor. E ele acabou sendo o único sobrevivente.

Desde então ele evitou todas as formas possíveis de “fazer contato” com pessoas do mundo exterior, muito do que sabemos sobre ele foi recolhido de seus acampamentos abandonados (imagem abaixo).

Nesses locais, ativistas descobriram que ele cultiva mandioca, milho, mamão e banana. Eles também descobriram poços em forma de armadilha com quase 2 metros de profundidade com espinhos na parte inferior, projetados para capturar animais para comer.

Foi dada ao homem pequena área de terra protegida que estava longe o suficiente do alcance das pessoas durante os anos 2000, no entanto, isso não melhorou sua situação. Em 2009, o homem foi alvejado por pistoleiros. As autoridades locais acreditam que ele foi ativamente alvo de pessoas ligadas ao agronegócio, a fim de tirá-lo dessa região e se livrarem da ordem de proteção na terra. Agora, completamente cercado por fazendas de gado e com os agricultores e mineradores famintos por mais terras, o futuro de sua “zona segura” parece cada vez mais incerto.

“Tribos não contatados não são relíquias primitivas de um passado remoto. Eles vivem no aqui e agora. Eles são nossos contemporâneos e uma parte vital da diversidade da humanidade, mas enfrentam uma catástrofe a menos que suas terras sejam protegidas”, disse Stephen Corry, diretor da Survival International, em comunicado.

Publicidade

Deixe um comentário...

%d blogueiros gostam disto: