Maior árvore do mundo corre risco de ser destruída por incêndio

O incêndio que tomou o oeste da Califórnia ameaça queimar a maior árvore do mundo. Cobertores à prova de fogo envolvem a sequoia que tem mais de 80 metros de altura e cerca de 3.000 anos de idade. 

Os bombeiros tomaram esta medida e não medem esforços para salvar a árvore que se tornou um grande (literalmente) ponto turístico do Parque Nacional da Sequoia.

 

Fogo positivo para Sequoias? 

Pequenos incêndios podem ser benéficos a estas árvores. Eles promovem a abertura dos seus cones e em consequência desta ação, as sementes caem em solo e novas árvores crescem. 

Em contrapartida, fortes incêndios destroem estes cones e consomem toda a árvore. Infelizmente várias árvores foram destruídas em catástrofes do passado. 

O desastre conhecido como “Castelo de Fogo” consumiu mais de 10.000 sequoias. Na atualidade, com os reais riscos do avanço das chamas, bombeiros tomam medidas para proteger a maior parte das árvores. 

A ação consiste em envolver a base da árvore com cobertores à prova de fogo, para impedir que as chamas consumam a base e sigam para os cones.

Este material resiste às chamas por um tempo, mas são suficientes para fazer a diferença em um incêndio. 

Por exemplo, no passado, algumas casas foram revestidas pelos cobertores e enquanto resistiam às chamas, outras eram consumidas pelo fogo. 

 

maior árvore do mundo proteção incendio

 

Além da maior árvore do mundo

Além disso, colocaram os cobertores em estruturas como as placas e as localidades do Parque Nacional a fim de garantir que os danos sejam menores que o esperado. 

No ano de 2021, incêndios com temperaturas acima do previsto destruíram grande parte da vegetação do oeste dos EUA, apesar das chamas recentes apresentarem uma menor intensidade, a preocupação é grande. 

Bombeiros relatam que as chamas alcançarão o parque em questão de dias, por outro lado, o principal porta-voz do incêndio afirma que a grande quantidade de fumaça amenizou os avanços.

Como resultado, é provável que os bombeiros tenham mais tempo para salvar outras árvores.

 

Incêndios nos EUA

Promovidos pela temperatura alta e tempo seco, focos de incêndio consumiram os Estados Unidos no ano de 2021. Um novo foco preocupa os bombeiros do oeste do país. 

A queimada chegou no nível de quebrar o recente recorde de emissão de CO2. Cientistas afirmam que o aquecimento global contribuiu com o avanço dos incêndios que está diretamente ligado às altas temperaturas e ao tempo seco.

O incêndio que ganhou o nome de “Windy” já se alastrou por mais de 100 quilômetros quadrados e cercou a floresta de sequoias. A principal preocupação está justamente na grande altura dessas árvores. 

Mesmo contendo o fogo, uma das árvores foi consumida em sua totalidade, dessa forma, o risco das chamas se alastrarem aumenta. 

 

Boa perspectiva 

Em contrapartida, há a esperança de que os incêndios não afetarão a floresta pelos cuidados tomados no passado. A manutenção da vegetação a partir de queimas controladas deixou as áreas limpas. 

Como resultado, o fogo não tem o que consumir, dessa forma não conseguirá se espalhar.

Publicidade

Deixe um comentário...