O homem mais inteligente do mundo e o por que você nunca ouviu falar dele

Publicidade

Ao longo da história já ouvimos falar em diversos gênios, como por exemplo: Albert Einstein, Isaac Newton e Mark Zuckerberg, todos com QI de 150 á 190. Graças as suas contribuições com a ciência e a tecnologia, a sociedade resolveu muitos dos seus problemas, os considerando as pessoas mais inteligentes da época.

Publicidade

No entanto, há alguns anos atrás havia uma pessoa que acabou quebrando qualquer expectativa e provavelmente ganhando o título da pessoa mais inteligente do planeta. Seu quociente de inteligência era em torno de 250-300. Ele se chamava William James Sidis e desde sua infância ele era um prodígio e excepcional em matemática, dominando vários dialetos.Apesar de desfrutar desse nível de intelecto, ele nunca foi reconhecido por suas habilidades.

William nasceu em Nova York, no ano de 1898. Seu pai era psicólogo com quatro especializações em Harvard e sua mãe tinha doutorado em Medicina. Como o intelecto da família era alto, William não podia ser deixado para trás e desde a infância mostrou que sua inteligência era maior do que a dos outros.

Publicidade

Com 1 ano e meio de idade William já sabia ler o New York Times, e aos 8 anos já era fluente em Latim, Grego, Francês, Russo, Alemão, Hebraico, Turco e Armênio, onde aprendeu de forma autodidata. Como se não bastasse todos esses idiomas, ele também inventou sua própria língua, “Vendergood”.

Aos 9 anos, Boris, seu pai, tentou matriculá-lo em Harvard, mas foi rejeitado por causa de sua pouca idade. Aos 11 anos ele se tornou a pessoa mais jovem a ser aceito em uma faculdade. Em 1910, ele já estava dando palestras sobre matemática para seus professores e eles começaram a chamá-lo de “prodígio infantil”. Ele terminou seu curso de medicina aos 16 anos.

Um pouco depois de sua formatura, William disse aos repórteres que queria ter uma vida tranquila e não pretendia se casar.

Em casa, a pressão e as altas expectativas predominavam. Em sua educação, ele incorporou várias abordagens psicológicas para aumentar sua inteligência. Anos mais tarde, ele culpou Boris por seu estilo não convencional de educá-lo. Seu pai faleceu em 1923 e William não compareceu ao funeral.

Publicidade

William se concentrou em trabalhar em cargos administrativos que lhe pagavam muito pouco, mas ele ainda estava no radar da mídia. Em 1924, ele foi descoberto em um trabalho onde recebia US$ 23 por semana. Muitos zombavam de como ele não era mais capaz de usar sua inteligência como antes.

William escreveu vários livros interessantes, mas sempre usou pseudônimos diferentes para que ele não fosse detectado. Ele era socialista e era contra a Primeira Guerra Mundial, na verdade, ele foi preso em 1919 por participar de um protesto violento em Boston,condenado a 18 meses de prisão, mas seus pais conseguiram tirá-lo de lá e, em vez disso, trancou-o em um sanatório por 2 anos.

Em seus últimos anos, William passou todo tempo sozinho e longe de sua família, trabalhando como maquinista ou em qualquer outro lugar que lhe daria dinheiro para pagar suas despesas.

Aos 46 anos de idade, William faleceu da mesma forma que seu pai, após uma hemorragia cerebral.

Publicidade

Deixe um comentário...

%d blogueiros gostam disto: