Por que bocejamos quando vemos outras pessoas bocejando?

Publicidade

Nada é mais satisfatório do que dar aquele bocejo quando estamos cansados ou, ainda, quando estamos entediados com alguma coisa.

Publicidade

Um bocejo é uma ação involuntária, na qual abrimos a boca e respiramos fundo e esse fenômeno não ocorre apenas com os seres humanos: alguns animais como cachorros, gatos e até mesmo os peixes, por exemplo, podem bocejar! Você já viu um peixe bocejando?

Bem, por mais estranho que possa parecer, nós apostamos com você que, somente ao falarmos sobre bocejo ou por ter visto a imagem de alguém bocejando nessa materia, você já deve ter bocejado aí em sua casa, não é?

Mas por que será que ao vermos alguém bocejando, já nos prontificamos em repetir esse ato? O que acontece para que a reação seja tão instantânea assim?

Afinal… Por que bocejamos quando vemos outras pessoas bocejarem?

O Universo Inteligente apresenta: finalmente, a resposta para esse enigma tão discutido!

O bocejo é sem dúvida algo “contagioso”: essa ação, segundo fisiologistas, é algo que faz com que captemos mais oxigênio, aumentando a frequência cardíaca e gerando a energia para que possamos seguir mais um dia em frente – e com mais disposição.

Quando estamos com sono, acabamos por bocejar antes de dormir, como uma espécie de “luta” que o corpo trava para que possamos nos manter acordados, uma vez que precisamos de oxigênio para o cérebro funcionar.

Mas, afinal de contas… por que o bocejo é tão “contagioso”? 

Apesar se existirem algumas teorias para isso, a resposta é, na verdade, bem mais simples do que poderíamos imaginar: no cérebro, no córtex pré-motor, há um mecanismo de neurônios-espelho, células que gravam a forma como nos comportamos em determinadas situações. Essa “gravação” feita pelas células baseiam nossas ações futuras a partir de comportamentos que já tivemos no passado. Por isso, podemos imitar muitas ações e, inclusive, pessoas. Mas calma:  não imitamos exatamente tudo porque existem áreas específicas que bloqueiam isso!

Publicidade

Ao vermos alguém bocejando, os neurônios-espelho automaticamente repetem o ato – mesmo que seja outra pessoa o realizando – e, mesmo que tentemos parar o bocejo (algo que é perfeitamente possível) a reação já se iniciou, de maneira automática.

Quando bocejamos, outras regiões são acionadas como a amígdala – a responsável por produzir emoções primitivas como medo, por exemplo –  e também o hipotálamo, que comanda funções básicas de nosso organismo.

Essas áreas não são totalmente controladas pela região racional do cérebro e, ao atingir o hipotálamo, o resultado não poderá ser outro: você vai bocejar.

Bem, até agora estimamos que você tenha dado pelo menos uns três bocejos não é mesmo? Mas não se assuste: os bocejos aceleram a circulação sanguínea, aumentam a concentração de oxigênio no cérebro e recarregam as nossas energias por alguns instantes, nos preparando para o que vier pela frente!

Publicidade

Deixe um comentário...

%d blogueiros gostam disto: